Bulimia nervosa causas e a importância da terapia

bulimia nervosa causas

A bulimia nervosa é um distúrbio traiçoeiro e de grande impacto na saúde mental e corporal das pessoas. Isso porque os indivíduos não apresentam sinais aparentes, e o diagnóstico é tardio. Por isso, veja as principais considerações sobre a bulimia nervosa causas e consequências.

Primeiramente, é bom lembrar que a bulimia nervosa é a fome exagerada, seguida pela alimentação em demasia, por uma forte sensação de culpa e, imediatamente, a busca pela eliminação dessa comida.

Assim, ela pode ser consequência de alguma outra decepção, como um relacionamento amoroso mal-sucedido ou uma mudança inesperada.

Portanto, se você está passando por esse transtorno ou está desconfiado que alguém próximo esteja tendo crises bulímicas, fique atento à leitura deste artigo.

Padrões de beleza e a bulimia nervosa

Não é de hoje, portanto, que os padrões sociais cobram corpos perfeitos de homens e mulheres.

Justamente, com a tecnologia empregada nas redes sociais, as pessoas são bombardeadas de informações e propagandas que estimulam uma vida saudável e um corpo magro.

Porém, muitos indivíduos que não conseguem estar neste padrão de beleza, ficam angustiados. Sendo assim, a saída encontrada por essas pessoas é a bulimia nervosa.

Diferentemente da anorexia, que deixa o paciente bastante magro pela restrição alimentar, já que as pessoas quase não comem para não engordar, a bulimia nervosa não deixa o indivíduo emagrecer.

Isso ocorre porque o bulímico come e não vomita a comida no mesmo momento. Sendo assim, o corpo chega a absorver as calorias. Mas tão logo tenha oportunidade, o paciente vomita ou usa laxantes para eliminar o mais breve possível todos os alimentos. Como consequência, ele sente-se menos “culpado”.

Perfil de quem desenvolve o distúrbio

A bulimia, portanto, é aquela fome voraz, que faz a pessoa devorar pizzas, lanches, bolos, sorvete e muito mais, de forma que nunca a sacie. Sendo assim, após matar a “fome de boi”, o indivíduo sofre e tenta se punir.

Na maior parte dos casos, mulheres jovens desenvolvem a bulimia nervosa. Contudo, homens e idosos também correm esse risco. Pois o distúrbio está muito ligado à maneira como as pessoas lidam com o próprio corpo.

Nesse sentido, com o enaltecimento da imagem, a supervalorização da aparência e o crescimento da indústria da beleza, todos estão vulneráveis a distúrbios alimentares, especialmente quando não têm jogo de cintura para administrar os problemas emocionais.

Tratamento

Sendo assim, o tratamento do distúrbio pode precisar de uma equipe multidisciplinar, envolvendo médicos, nutricionistas e terapeutas.

Contudo, algumas técnicas aceleram o tratamento da bulimia nervosa, como a Hipnoterapia, que utiliza a hipnose para mergulhar no subconsciente e mostrar ao indivíduo as origens da sua falta de aceitação do próprio corpo.

Dependendo do estágio da bulimia nervosa, o paciente ainda terá que contar com o acompanhamento médico, pois ele pode apresentar alterações no funcionamento do seu aparelho gastrointestinal.

Resumindo, bulimia nervosa causas, consequências e riscos estão muito presentes na cabeça de quem desenvolve o transtorno, porém, é preciso contar com uma ajuda profissional para superar esse desafio.

Nesse sentido, a hipnoterapia pode apresentar saídas viáveis para o paciente. Aproveite para conhecer melhor as oportunidades de terapia individual e coletiva que são oferecidas. Acesse o site do IPTE (Instituto Paulista de Tratamento Emocional) e saiba mais.

 

Iran Moura

 

Fundador do Instituto Paulista de Tratamento Emocional, pedagogo, hipnoterapeuta formado pela OMNI e coach comportamental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *